Atendimento: (71) 3506-6175
5-motivos

O ano novo não foi o seu momento? Então a chegada do bom tempo terá de o ser.

Melhorar a nossa saúde a nível físico e psicológico garante energia para enfrentar o dia, aumenta a esperança média de vida… não há quem não conheça as vantagens de se treinar, mas ainda que qualquer caminhada ou treino de padel sejam vantajosos, a verdadeira vantagem advém de uma rotina de treino frequente.

A entrada no novo ano foi a altura em que muitos decidiram melhorar a sua vida neste sentido. Destes, alguns passaram efetivamente à prática e inscreveram-se num ginásio ou começaram a treinar por si só. Já outros, mantiveram-se até agora com desculpas. Quando dá por si, o primeiro trimestre já passou. Estamos em abril, o bom tempo está aí à porta e agora sim, acabaram-se as desculpas – não tarda é verão.

Cientes do comum ‘problema’ que é a falta de motivação, o New York Times junta as dicas certas para que se entre em grande no mês de abril, com vontade de treinar.

Conheça os benefícios de se treinar

O exercício físico deve ser praticado por todos, mas não da mesma forma nem pelos mesmos motivos. Ao conhecer os seus motivos e arranjar uma meta está a motivar-se a treinar pelas razões certas que são únicas e pessoais.

Defina os seus objetivos

A maior causa por que muitos desistem de treinar é a falta de resultados. Tal deve-se, muitas vezes, ao facto de não estar a praticar o treino certo. Além disso, importa que as metas sejam reais. Não pode querer perder 10 quilos em três semanas de forma saudável – há que ter paciência e manter o foco.

Dito isto, seja específico, realista, mantenha metas reais e valorize os pequenos resultados, mesmo que seja o único a notá-los.

Insira o treino no calendário

Se é para levar a sério, tem de ver os treinos como parte do seu dia que é tão importante quanto uma reunião, o passear o cão ou um jantar com os amigos. Falta de tempo não é desculpa, e apenas parece impossível relacionar o treino com uma vida social quando começamos em exagero com idas diárias ao ginásio que se sobrepõem a qualquer outro plano.

Mantenha um plano de treino

Sem plano, não tem como traçar objetivos nem onde basear os exercícios que pratica. Saber que hoje será dia de cardio ou treino de pernas permite que se prepare e, mesmo mentalmente, organize o seu dia sem esquecer o momento de exercício físico.

Encontre o seu treino

De nada vale se o treino não lhe der prazer. Ao fazer algo de que gosta vai facilmente ver o treino como algo essencial para o seu dia a dia. Mas se já tentou, sem sucesso, a corrida, mais vale a pena não insistir e experimentar outra modalidade com que se identifique mais.

 

bicicleta

São os dois treinos de cardio mais comuns e normalmente os ´seguidores’ de um ou outro treino são fiéis a uma só modalidade. Mas preferências à parte, qual dos dois será mais eficaz, segundo a visão de especialistas?

Corrida ou bicicleta são treinos cardiovasculares bastante completos, cheios de vantagens e que não exigem muito além de um par de sapatilhas ou uma bicicleta e força de vontade. Entre um ou outro treino, venha a preferência pessoal de cada um, mas a verdade é que são treinos diferentes e, segundo a Women’s Health UK há um melhor que outro.

Num artigo publicado esta semana, a revista especializada em desporto analisou paralelamente os treinos de corrida e bicicleta sob vários ângulos, chegando à conclusão que bicicleta é o melhor treino de cardio – uma informação que vai ao encontro das preferências dos seus leitores já que, usando como referência os utilizadores da app de treino Strava, nos Estados Unidos durante o ano passado foram feitas 17 milhões de corrida em oposição a 27 milhões de treinos de bicicleta.

Vejamos os efeitos de um e outro treino no corpo: segundo um estudo feito na universidade de Birmingham, em dois treinos com a mesma duração e intensidade, nota-se que no caso da corrida há maior perda de gordura na zona abdominal. Contudo, se ao treino de bicicleta associar treino muscular com agachamento com pesos, os resultados serão bem mais visíveis que no primeiro caso, conclui o mesmo estudo.

Quanto ao cérebro, um estudo feito na Universidade de Arizona aponta que a corrida traz benefícios para a mente, ao melhorar a capacidade de multitasking. Já a bicicleta, e passando para um outro campo, é mais benéfico no sentido em que mais facilmente o incorpora no seu dia a dia – ao optar pela bicicleta em vez de carro, está a aderir a uma prática mais saudável ao mesmo tempo em que se desloca para as tarefas diárias, além de que poupa dinheiro.

Voltando aos benefícios e malefícios dos treinos para o corpo humano, na corrida o praticante está mais propício a lesões nos joelhos, que se devem frequentemente ao mau posicionamento do pé ou ao grande impacto do pé no solo. Também as ancas e tornozelos estão mais expostos a lesões na corrida do que na bicicleta.

Já na bicicleta, os riscos de lesões são menores, ainda que se aponte a possibilidade de se magoar na zona genital, que advém de uma má postura.

Em suma, e segundo os personal trainers com que a Women’s Health falou, “além de ser bastante acessível, para não mencionar que é de graça, a corrida ajuda a melhoras a densidade óssea, protegendo contra a osteoporose”, contudo, a bicicleta ‘ganha’ a nível muscular, “graças aos seus benefícios para vários grupos musculares, menor risco de lesão e acessibilidade ao tipo de treino.